HISTÓRIA NATURAL E NARRATIVAS DE VIAGENS: NOVAS RELAÇÕES, NOVAS LINGUAGENS, NOVAS IMAGENS

  • Márcia Fagundes Barbosa UFSC

Resumo

Este artigo procura refletir sobre o processo de composição de imagens que ajudaram a definir o Brasil no século XIX, a partir de um olhar eurocêntrico. Nesse sentido, a História Natural e as narrativas de viagens fazem parte desse novo modo de lidar com a diferença. A abertura dos portos brasileiros em 1808 e a “redescoberta” do Brasil a partir de uma perspectiva científica promovem uma confluência de imagens e novos signos para esta região. Esses discursos e imagens estão inseridos em um contexto de transformação do pensamento humano (séculos XVIII e XIX), quando novas formas de relações e representações do sujeito estão sendo construídas. Mary Louise Pratt atribui essa mudança à emergência da história natural como uma forma diferente das elites europeias relacionarem-se com o resto do mundo. Portanto, este entendimento racionalizador e padronizado sobre “outros” espaços (não urbanos) codificam uma nova consciência planetária: a eurocêntrica. Com o objetivo de entender os mecanismos ideológicos e semânticos que possibilitaram o repertório de imagens produzido sobre o Brasil no século XIX, este artigo concentra-se, em um primeiro momento, sobre a retórica da história natural e sua especificidade enquanto linguagem e empreendimento. Os relatos de viagem tão produzidos e consumidos na Europa e na América nos séculos XVIII e XIX utilizam-se dessa retórica naturalista para explorar mundos não urbanos. Em um segundo seguimento, são analisadas as imagens que partem de algumas narrativas de viagens sobre o Brasil no século XIX, dedicando-se, sobretudo, à Viagem pelo Brasil (1817-1820), de Spix e Martius. Identificam-se nessas narrativas os polos científicos firmados por Hegel e Humboldt para interpretar o mundo americano a partir da relação entre natureza e sociedade. O olhar eurocêntrico que pensa o mundo através da antítese entre o velho e o novo concebe à América grande vigor físico e carência humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Mai 29, 2010
Como citar
BARBOSA, Márcia Fagundes. HISTÓRIA NATURAL E NARRATIVAS DE VIAGENS: NOVAS RELAÇÕES, NOVAS LINGUAGENS, NOVAS IMAGENS. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 3, n. 1, p. 02 - 17, maio 2010. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/1804>. Acesso em: 15 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2009v3n1p02 - 17.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Eurocentrismo. História Natural. Narrativas de Viagens. Brasil. Século XIX.