A POESIA DE HILDA HILST

  • Edson Costa Duarte Unicamp - Depto. de História

Resumo

 

Tendo o tempo como principal moeda de troca simbólica, neste estudo, faço uma leitura da poesia da escritora Hilda Hilst, levantando alguns elementos críticos que me permitiram demarcar um possível terreno conceitual para a interpretação da poesia hilstiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Jul 13, 2010
Como citar
DUARTE, Edson Costa. A POESIA DE HILDA HILST. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 3, n. 2, p. 185-202, jul. 2010. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/1870>. Acesso em: 07 dez. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2009v3n2p185-202.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Poesia moderna brasileira (Crítica). Hilda Hilst (Poesia); Trocas simbólicas; Tempo.