ANÁLISE E TRADUÇÃO DO POEMA "LABIRINTO" DE BORGES

  • Andréa Cesco Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Uma parte importante da obra de Borges consiste em reflexões sobre a literatura e a metafísica. Esta dimensão especulativa é inseparável do seu trabalho de narrador ou de poeta. Borges não aceita nenhuma possibilidade literária que não tenha sido submetida a rigorosas explorações conceituais e que, ao contrário, cada invenção, cada poema, lhe proporciona um novo horizonte de exercícios mentais que, por sua vez, se transformarão em possibilidades inventivas. O poema que me proponho a analisar, “Laberinto”, faz parte do Elogio de la sombra, de 1969, seu quinto livro de versos. Além da análise do poema, vou comparar o original com duas traduções para o português, sendo que uma é a 1a edição, de 1971, e a outra é a 2a edição revisada, de 2001.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Nov 26, 2012
Como citar
CESCO, Andréa. ANÁLISE E TRADUÇÃO DO POEMA "LABIRINTO" DE BORGES. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 257-268, nov. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2115>. Acesso em: 13 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2011v5n3p257-268.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Borges; poesia; labirinto; tradução.