O KAMA SUTRA E O CUIDADO DE SI

  • Carla Fernanda da Silva FURB

Resumo

Este artigo propõe algumas reflexões sobre a recepção, pelo leitor ocidental, da obra indiana Kama Sutra, traduzida para o inglês no século XIX, e posteriormente para a língua portuguesa. O mercado editorial ocidental apropriou-se do título do livro de Mallanaga Vatsyayana e transformou-o em sinônimo de um manual visual de posições sexuais. Devido à profusão de obras com o título Kama Sutra, percebeu-se a necessidade de um estudo comparado das imagens indianas de diversos períodos entre os séculos XV e XIX em contraste com as imagens dos manuais ocidentais contemporâneos, com intuito de evidenciar as diferentes compreensões sobre a recepção da obra de Mallanaga Vatsyayana no ocidente. Problematiza-se historicamente a compreensão ocidental da obra como um manual de posições sexuais, e não como um texto elaborado a partir de uma concepção religiosa e de um ‘cuidado de si’ a partir da vivência da sexualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Nov 26, 2012
Como citar
DA SILVA, Carla Fernanda. O KAMA SUTRA E O CUIDADO DE SI. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 220-237, nov. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2470>. Acesso em: 15 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2011v5n3p220-237.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Kama Sutra. Imagens e Literatura Erótica. Sexualidade.