GLOSSOLALIA: POLIFONIA E POLIRRITMIA VOCAL

  • Maurício Eugênio Maliska Maiêutica Florianópolis - Instituição Psicanalítica e Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Resumo

A glossolalia é comumente estudada num escopo cultural fortemente marcado pelo cunho místico-religioso. Neste texto, tentaremos tomar a glossolalia não como um fenômeno de cunho religioso ou cultural, mas como uma manifestação vocal, demonstrando a sua polifonia e polirritmia presente em cada vocalização. Trata-se de entendê-la como um fenômeno vocal constituinte da subjetividade, na medida em que ela é uma manifestação da própria voz, enquanto articulação entre som e ritmo. Em outras palavras, a voz é glossolálica; o sujeito, no seu balbucio vocal, emana uma enunciação sem enunciado, vocaliza na sua fala algo que não é discurso, algo que não está atrelado ao sentido e sim ao puro som e ritmo, elementos esses que são centrais na glossolalia da voz. A glossolalia é a quebra do sentido para a emergência da voz enquanto corpo, ou melhor, um pedaço de corpo que dele se desprende para ganhar o sem sentido do som.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Ago 21, 2011
Como citar
MALISKA, Maurício Eugênio. GLOSSOLALIA: POLIFONIA E POLIRRITMIA VOCAL. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 248-258, ago. 2011. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2527>. Acesso em: 14 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2010v4n2p248-258.

Palavras-chave

Glossolalia; Voz; Polifonia; Polirritmia; Constituição Subjetiva.