MAFALDA E A EMANCIPAÇÃO FEMININA

  • Carla Letuza Moreira e Silva Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Este estudo propõe-se a analisar o funcionamento discursivo de tiras de Mafalda (Quino, 1993) sobre o processo de emancipação feminina, mobilizando noções teórico-metodológicas da Análise de Discurso francesa. Mafalda é uma personagem criada na Argentina e que representa, em tempos de ditadura nos anos 60 e 70, um grito por igualdade e liberdade para as mulheres que luta(va)m por maiores chances de realização pessoal e profissional. O corpus desse estudo é composto do recorte das tiras de Mafalda que mostram sua relação com a temática abordada, bem como a relação entre os sujeitos envolvidos em suas narrativas. As noções de memória, condições de produção e ironia/equívoco, entre outras, são mobilizadas por proporcionarem uma maneira própria de entender o processo de emancipação feminina na modernidade e compreender como neste discurso se faz para sustentar o efeito humorístico. No processo de construção de sentidos apreendemos a relação entre uma concepção do papel feminino que não cessa de (re)construir sentidos entre memória e atualidade para a emancipação feminina na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Nov 26, 2012
Como citar
E SILVA, Carla Letuza Moreira. MAFALDA E A EMANCIPAÇÃO FEMININA. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 269-286, nov. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2779>. Acesso em: 13 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2011v5n3p269-286.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Análise do Discurso; Mafalda; emancipação feminina; condições de produção; equívoco; efeito de humor