METÁFORAS DA LUTA PELA TERRA: A MÍSTICA DO MST

  • João Rodrigues Pinto Faculdade Pitágoras - unidade Teixeira de Freitas/BA

Resumo

O trabalho descreve as práticas e representações da Mística desenvolvida pelos estudantes do curso de Letras da Terra da Universidade do Estado da Bahia (UNEB/Campus X), em parceria com o Pronera e o MST. O objetivo é compreender a mística como o espaço simbólico em que várias vozes estão inscritas, marcando o movimento dos sujeitos, dos sentidos, enfim, dos discursos, levando em consideração, a presença de metáforas “para dar expressão adequada às necessidades crescentes de seu espírito” (CASSIER, 2003, p.103). Numa perspectiva dialética, busca demonstrar que o simbólico se faz presente em todas as esferas do agir coletivo do MST como ferramenta eficaz no aprofundamento do sentido dos seus objetivos. Trata-se de uma abordagem que busca entender a mística enquanto celebração memoralística permeada por uma intencionalidade consciente caracterizada como um processo que mobiliza, educa e politiza os sujeitos Sem Terra, como formas de melhor discernir sua identidade cultural e unidade ideológica.

Palavras-chave: mística, metáfora, movimento sem terra

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Nov 26, 2012
Como citar
PINTO, João Rodrigues. METÁFORAS DA LUTA PELA TERRA: A MÍSTICA DO MST. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 287-301, nov. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2796>. Acesso em: 13 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2011v5n3p287-301.
Seção
Artigos

Palavras-chave

mística, metáfora, movimento sem terra