A IMPORTÂNCIA DAS CAPAS NA SIMBOLIZAÇÃO DA LITERATURA DE CORDEL AO LONGO DE SUA HISTÓRIA

  • Clarissa Loureiro FAINTIVISA

Resumo

Este artigo pretende comprovar a relevância das capas na estruturação estética e significativa do cordel ao longo de sua história como manifestação popular do imaginário nordestino. Para tanto, estabelece um diálogo entre a evolução do folheto e de suas capas, demonstrando como a alteração destes artifícios estéticos expressa a condição do cordel de gênero da literatura popular que se encontra numa fronteira entre-tempos, alterando-se, à medida que traduz o sua relação intersemióica com linguagens distintas: os desenhos populares, a xilogravura, as fotografias de cinemas, os cartões postais da década de 30, e, por último, a estrutura das revistas em quadrinho. Desta forma, este trabalho defende que a mobilidade das capas na história do cordel expressa como o folheto presentifica-se, alterando a sua linguagem para reforçar temas de uma tradição que se reatualiza no tempo sem deixar de manter raizes de uma tradição popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Mar 1, 2012
Como citar
LOUREIRO, Clarissa. A IMPORTÂNCIA DAS CAPAS NA SIMBOLIZAÇÃO DA LITERATURA DE CORDEL AO LONGO DE SUA HISTÓRIA. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 4, n. 3, p. 260-271, mar. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2900>. Acesso em: 14 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2010v4n3p260-271.

Palavras-chave

Capas. Cordel. Semiótica. Cultura Popular.