MATIZES HISPÂNICAS NA POESIA CABRALINA: A VOZ DO VERSO

  • Lenise dos Santos Santiago UFRN

Resumo

Observando a matiz da tradição hispânica, rica na sua diversidade, João Cabral parece descobrir o cerne da sua lírica às avessas. Seduzido pela Espanha, em especial Sevilha, o poeta deixa-se invadir pela intensidade de imagens, cores e luz da cidade hispânica, incorporando-as à sua poesia. A partir do poema Estudos para uma bailadora andaluza, que compõe a obra Quaderna (1959), abordaremos os questionamentos da musicalidade na poesia cabralina disfarçada pela refinada tessitura poética condicionada ao rigor técnico e matemático que o poeta se impôs. Nesse estudo pretendemos estabelecer a relação musical própria da cultura hispânica que dialoga com os versos cabralinos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Mar 1, 2012
Como citar
SANTIAGO, Lenise dos Santos. MATIZES HISPÂNICAS NA POESIA CABRALINA: A VOZ DO VERSO. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 036-045, mar. 2012. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/2909>. Acesso em: 13 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2011v5n1p036-045.

Palavras-chave

Literatura. Poesia. Música. Hispânico.