O RECIFE NA POESIA DE CARLOS PENA FILHO

  • Júlio Cesar Tavares Dias Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

A cidade é constructo humano, e como tal é uma paisagem cultural que se contrapõe à natureza. Habitar a cidade em que nasceu é uma relação que contribui para a estabilidade emocional. As mudanças ocorridas na paisagem urbana podem criar, então, certo mal-estar nos seus habitantes. Carlos Pena Filho, em tempos de modernização do Recife, sente a necessidade de escrever sobre a cidade que ele vê e sente. Seu relato parece ver na cidade de seu tempo a de outros tempos históricos. O resultado é o poema “Guia Prático da Cidade do Recife”. Nossa comunicação se insere, então, nas relações entre Literatura, História e Geografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Dez 20, 2013
Como citar
DIAS, Júlio Cesar Tavares. O RECIFE NA POESIA DE CARLOS PENA FILHO. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 126-138, dez. 2013. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://bu.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/3790>. Acesso em: 13 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2013v7n2p126-138.
Seção
Artigos

Palavras-chave

literatura, cidade, literatura pernambucana