Menu Content/Inhalt
Home arrow Notí­cias arrow "A Galeria Wilson", novo romance de Maicon Tenfen
"A Galeria Wilson", novo romance de Maicon Tenfen Imprimir E-mail

capaO escritor Maicon Tenfen, radicado em Blumenau, lançou seu novo romance, "A Galeria Wilson" (Editora Griphos) no Bar e Restaurante Farol, localizado nas proximidades da Universidade Regional de Blumenau.

 

Novo livro do escritor catarinense Maicon Tenfen mistura romance, suspense e realismo fantástico

Marco Antônio Florestan é o típico poderoso empresário: à beira da meia-idade, é arrogante e trata a todos com desdém.  Ao lado dele, e muito menos acima, ninguém que lhe seja par. Abaixo, todos um bando de seres servis prontos a baixar-lhe a crista. Resumindo: Marco Antônio é um crápula.  No entanto, como nada na vida é perfeito, o empresário enfrenta problemas: sua mulher, jovem e bela, desapareceu sem deixar vestígios.  Em sua busca para encontrá-la, Marco Antônio se depara com pistas deixadas num romance feminino, nas pegadas de um lagarto gigante e numa galeria abandonada aos mendigos e toda sorte de estranhos habitantes.

A Galeria Wilson é o mais novo livro do escritor catarinense Maicon Tenfen e o primeiro do autor lançado pela Gryphus Editora.  Tenfen cria em sua prosa um personagem inesquecível e complexo.  Apaixonado pela mulher, Marco Antônio tem sentimentos confusos por sua esposa: preocupa-se com seu paradeiro, mas o orgulho não lhe permite sentir tristeza, e, sim, raiva: afinal, como a mulher de um figurão como ele ousa sair de casa por aí, sem destino?  Por acaso, ela o estaria traindo?  No escritório, recebe de supetão a visita do detetive particular Haroldo Machado, a quem havia contratado para encontrá-la, mas de quem suspeitava ser mais um aproveitador do que um profissional.  Uma foto mostrada pelo investigador, porém, o intriga: na rua, uma moça parecida com a desaparecida (ele se recusa a dizer seu nome) carregava uma sacola cheia de livros, certamente os romances água-com-açúcar que a mulher devorava e ele odiava.

Em busca de respostas, o empresário volta à mansão onde moravam: foi lá que o belo caso de amor começou a ruir a passos vistos.  Foi lá que a bela e radiante moça, ignorada pelo marido atarefado, mergulhou num mundo de ilusões proporcionado por romances femininos que idealizavam relacionamentos, em clichês nos quais, depois de tantas adversidades, o amor triunfava e a princesa terminava nos braços do bonito, forte e jovem herói.  Foi lá que o empresário perdeu o controle e passou a espancar a mulher, transformando a violência num hábito.

No pequeno quarto do casarão onde a mulher passou a se esconder com seus livros, Marco Antônio tem uma surpresa: o encontra vazio.  Nele, apenas um romance deixado de lado – propositalmente?:  Ciranda de paixões, um livro com duas histórias cuja autora é uma tal de Susan Smith.  Desesperado, o empresário reluta em ler um tipo de literatura que sempre desprezou e do qual sempre debochou.  Mas não encontra saída: para entender o que aconteceu com a mulher, era preciso entendê-la e isso o levava a buscar no livro o que tanto a atraía.

A cada página virada, Marco Antônio se vê envolvido pela prosa magnética de Susan Smith. As histórias incompletas – com as páginas arrancadas - interrompem sua busca por pistas, mas agora é impossível parar: ele precisa de um novo exemplar, inteiro, de preferência. Precisa saber o que acontece com as protagonistas das duas histórias: a primeira, uma civil envolvida acidentalmente numa conspiração terrorista.  A segunda, a de uma mulher insatisfeita com o casamento e que se veste como uma femme fatale, dizendo que vai tirar a máscara – que máscara? O que sua esposa quer dizer por meio dessas duas mulheres?

A busca por uma nova edição de Ciranda de paixões vai levar o protagonista criado por Maicon Tenfen a esbarrar com um misterioso animal, que joga seu carro fora da estrada e quase o mata, com conspirações dentro de sua própria empresa e com a ligação de uma misteriosa mulher, que diz possuir um exemplar do livro que tanto procura e vai levá-lo à salvação, ou à perdição, na abandonada galeria que dá título ao livro.

Dono de uma prosa contagiante, que mistura romance, suspense e realismo fantástico, Tenfen leva o leitor a uma viagem vertiginosa na qual nada, nem ninguém, é o que o parece. 

O autor

Maicon Tenfen é catarinense, tem 34 anos e é cronista, contista, ensaísta e romancista. Tem outras 11 obras publicadas: Entre a Brisa e a Madrugada (novela, 1996), Um Cadáver na Banheira (romance, 1997), O Segredo da Montanha (infanto-juvenil, 1998), O Impostor (contos, 1999), O Filho do Feliciano (romance, 2000), Mistérios, Mentiras e Trovões (contos, 2002), Mania de Grandeza (crônicas, 2005), A Culpa é do Mordomo (crônicas, 2006), Breve Estudo sobre o Foco Narrativo (ensaio, 2008), Casa Velha Night Club (contos, 2009) e O Homem que Pronominava (crônicas, 2010).

Maiores informações a respeito do livro no site http://agaleriawilson.wordpress.com/

 
< Anterior   Próximo >

Artigos já publicados

As suspeitas do sr. Whicher, de Kate Summerscale

capaO escritor e doutor em Literatura Maicon Tenfen resenha “As suspeitas do sr. Whicher”, livro reportagem escrito por Kate Summerscale. A  obra narra a história real de um dos crimes mais chocantes da Inglaterra vitoriana e do detetive que inspirou grandes mestres da literatura, como Charles Dickens e Arthur Conan Doyle.

Leia mais...