Menu Content/Inhalt
Home arrow Notí­cias arrow Conto de Lindolf Bell vira filme
Conto de Lindolf Bell vira filme Imprimir E-mail

fotoA Biblioteca Universitária da FURB sediará a filmagem do curta-metragem "Dicionário", com roteiro inspirado em conto de Lindolf Bell e direção de Ricardo Weschenfelder. O filme foi premiado em edital do Ministério da Cultura. A filmagem está prevista para 21 e 22 de setembro corrente.

O curta-metragem Dicionário foi premiado no “Edital do Ministério da Cultura 01/2009 - Concurso de Apoio a Produção de Obras Inéditas de Curta Metragem”, sendo o único projeto de Santa Catarina selecionado. O projeto concorreu com quase mil projetos de todo o Brasil e apenas vinte deles foram contemplados. O curta tem direção de Ricardo Weschenfelder e produção da Exato Segundo Produções Artísticas. A Orbital Filmes é parceria e assina como produtora associada.


Dicionário fala sobre os sentidos que estão além da nossa compreensão. Sobre como nosso mundo pode, de uma hora para outra, perder a razão e adentrar o inexplicável e o que está oculto diante de nossos olhos. O filme Dicionário é uma adaptação do conto “O guarda-noturno” (1986) do escritor e poeta catarinense Lindolf Bell. O curta encontra-se em fase de pré-produção e será filmado nas cidades de Timbó e Blumenau, em Santa Catarina, entre os dias 19 e 23 de setembro de 2011. A previsão é lançar o filme no começo de 2012.


A obra de Lindolf Bell nunca havia sido adaptada para o cinema. O filme é uma oportunidade de o Brasil descobrir um grande poeta e contista. A obra do escritor carrega traços regionais da cultura do Vale catarinense, mas a sua potência é universal, repleta de fortes imagens, epifanias e mistério.


No filme o protagonista, Vitor, é um descendente de alemães que trabalha em uma fábrica de porcelana em Santa Catarina. Sem explicação alguma as peças de porcelana começam a cair das suas mãos, até que ele é demitido da fábrica. Vitor passa meses desempregado cuidando do jardim da sua casa. A inauguração de uma Universidade na cidade faz com que Vitor seja contratado como guarda-noturno na biblioteca da instituição. Enquanto a cidade dorme, Vitor vaga, solitário, pelos corredores da biblioteca com a sua lanterna na mão. À noite, ele gosta de folhear o grande dicionário em busca dos significados das palavras. Mas algo misterioso vai acontecer e Vitor será a única testemunha: centenas de insetos invadem a biblioteca e levam todas as palavras do dicionário.


Na visão do personagem a biblioteca adquire imagens fantásticas e sobrenaturais. O conto “O Guarda- Noturno” de Lindolf Bell trata da busca pelo conhecimento e a liberdade que ele confere as pessoas. Os livros funcionam como o instrumento da imaginação e da libertação criativa para Vitor. A vida do personagem depois de descobrir os livros é transformada, ele não consegue mais controlar a sua imaginação. A invasão dos insetos é uma alegoria da fantasia e da imaginação que a leitura pode proporcionar aos homens e mulheres.

 
< Anterior   Próximo >

Artigos já publicados

Ladrão de Cadáveres

capaNeste breve ensaio o escritor e professor de Literatura, Maicon Tenfen, discute o livro “Ladrão de Cadáveres”, de Patrícia Melo. Classificando-o enquanto obra do gênero policial, Tenfen observa as influências de Rubem Fonseca neste livro da autora, cuja primeira edição saiu pela Editora Rocco.

Leia mais...