Menu Content/Inhalt
Home arrow Notí­cias arrow Terça, dia 20, tem inaugurações, abertura de exposições e lançamento de livros, na Fundação Cultural
Terça, dia 20, tem inaugurações, abertura de exposições e lançamento de livros, na Fundação Cultural Imprimir E-mail

Terça, dia 20, tem inaugurações, abertura de exposições e lançamento de livros, na Fundação Cultural de Blumenau

Blumenau, 15/05/2008.  A Fundação Cultural reinaugura oficialmente na próxima terça-feira, 20, a Sala Oficial do Museu de Arte de Blumenau (MAB), contemplado com um projeto de modernização através do Instituto de Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN). A Sala recebeu climatização e nova iluminação para poder receber exposições de grande porte, entrando assim, para o circuito nacional e internacional de museus. A reinauguração acontece às 19h30min, com a exposição O Outro Lado, da fotógrafa blumenauense Susana Pabst. Num evento multicultural, também na terça-feira, na Sala Especial do MAB, agora também climatizada, será aberta a exposição Lugares, da artista acadêmica Mariana da Silva. Na Sala Alberto Luz (Galeria Municipal de Arte), a artista plástica Ester Martendal abre a exposição Novos Olhares. E na Galeria do Papel, mosaicos produzidos por jovens em recuperação de violência doméstica e por voluntários da Associação Vozes de Muitas Águas. As mostras ficarão abertas à visitação pública até 9 de junho, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13h30min às 17h30min; sábados, domingos e feriados, das 10 às 16 horas. Na mesma noite acontece o lançamento dos livros De espantalhos e pedras também se faz um poema, do escritor Viegas Fernandes da Costa, e Blumenauaçu na ponta dos dedos: antologia tátil de escritores blumenauenses. O público está convidado a prestigiar. A entrada é gratuita. A Fundação Cultural fica na Rua Quinze de Novembro, 161.

Segundo a diretora do MAB, Rafaela Hering Bell, uma parte dos equipamentos foi destinada ao acervo do Museu, que possui hoje mais de 500 obras abrigadas. Foram adquiridos, através dos recursos do IPHAN, condicionadores de ar, desumificadores, mapoteca, bancada de restauro, lupas e equipamento propício para que numa próxima etapa possa ser feito o restauro das obras. “Esse, sem dúvida, é um importante passo para a cultura blumenauense”, disse Rafaela.

O Projeto

A Fundação Cultural de Blumenau encaminhou em 2007 projeto para o Edital de Modernização dos Museus do Instituto de Patrimônio Histórico Artístico Nacional do Governo Federal. O projeto contemplado foi “Modernização do Complexo Museológico da Fundação Cultural de Blumenau”, que recebeu R$ 54.880,00 em repasse direto, recursos aplicados na aquisição de equipamentos para as melhores condições de exposição e acervo dos museus que integram o complexo da Fundação Cultural.

Foram adquiridos micro computadores, desumificadores e condicionadores de ar, estantes e mapotecas para o Museu da Família Colonial, Museu de Arte de Blumenau, Espaço da Cultura Popular, Setor Cinematográfico, acervo da Editora Cultura em Movimento e Centro Braille.  As salas de exposição do MAB estão climatizadas, propiciando condições de conservação das obras expostas e presentes no seu acervo. A Sala Edith Gaertner, auditório com 68 lugares e também palco das sessões do programa semanal Cinearte recebeu ar condicionado para oferecer mais conforto ao público que assiste aos filmes às segundas-feiras.

O Projeto Modernização do Complexo Museológico também instalou trilhos de iluminação que proporcionam melhor visualização das obras, bem como direcionamento do foco das atenções para as obras expostas no MAB. O projeto contou com o apoio da designer de interiores Marguet Luz, que desenvolveu o projeto de iluminação.

Segundo o coordenador do projeto, Rodrigo Dal Molin, “com este projeto estamos oferecendo melhores condições de conservação dos acervos e melhor exposição das peças no complexo museológico da Fundação Cultural”.

Lançamentos

A Editora Cultura em Movimento da Fundação Cultural de Blumenau lança, em noite de autógrafos, dois livros que levam o selo da Editora. O primeiro deles é do escritor Viegas Fernandes da Costa, que tem o título De espantalhos e pedras também se faz um poema. Este é o segundo livro do blumenauense e constitui uma coleção dos poemas mais representativos da sua carreira literária. Os poemas estão divididos em três capítulos: “O Livro das Pedras”, “Espantalhos no Deserto”, e “Ecos de Mim”, e as temáticas vão do social ao existencial. A arte gráfica é de Giba Santos, e a foto de capa dos artistas Charles Steuck e Telomar Florêncio, “De espantalhos e pedras também se faz um poema” é muito mais do que um livro de poemas, é uma obra de arte. Produzido nas oficinas da Fundação Cultural de Blumenau, o livro foi composto e impresso artesanalmente no antigo método tipográfico. Uma declaração de resistência em um tempo em que se fala tanto do fim do livro.

Ainda com o selo da Editora será lançado o livro Blumenauaçu na ponta dos dedos: antologia tátil de escritores blumenauenses. Vinte e dois escritores convidados participam da obra que apresenta poesia, prosa, verso e crônicas. A capa do livro é uma homenagem aos artistas plásticos de Blumenau. O painel foi pintado no Parque da Foz do Ribeirão Garcia, em novembro do ano passado. A contra-capa são mãos da comunidade. As duas obras foram pintadas durante a realização do evento A Cultura Abraça o Meio Ambiente, da Fundação Cultural.

Durante a noite também estará lançando seu livro como convidado da Fundação, o escritor e membro da Academia de Letras Blumenauense, Alfredo Scottini, que autografará sua mais nova obra, O puxador de bois e outras histórias. Scottini navega pelas muitas histórias que as pessoas constroem ao longo dos dias. Em todas, perpassa uma sutil, mas permanente condição humana, mostrando que as alegrias e as tristezas tecem mantos nos passos de cada um. As histórias são momentos individuais e dramas de algumas personagens comuns, mas heróicas no enfrentamento das dificuldades. Através das histórias descobrimos os seres humanos, sempre mais humanos e sempre mais perto de nós.

Os autores:

Viegas Fernandes da Costa nasceu em Blumenau, em 1977. Historiador, atuou como professor por 10 anos, e atualmente trabalha na Universidade Regional de Blumenau, onde coordena e edita o site literário Sarau Eletrônico. Autor de contos, crônicas, poemas e ensaios, em 2005 publicou o livro “Sob a Luz do Farol” (Crônicas, Ed. Hemisfério Sul). Integra também o Conselho Editorial da Revista Blumenau em Cadernos e apresenta o programa “Livros e Leitura”, na Rádio Bandeirantes AM. Possui diversos prêmios literários, sendo o último deles conquistado em 2008, no VI Concurso de Contos de Niterói (RJ).

Alfredo Scottini  nasceu em Rodeio em 1938. É advogado, professor de Filosofia, Língua Portuguesa, Literatura e Língua estrangeira. Traduziu livros para o português do italiano, francês e espanhol, totalizando mais de 40 obras. Já publicou 12 livros entre dicionários, livros de história e crônicas. É membro do Conselho Municipal de Cultura de Blumenau e integra a Academia de Letras Blumenauense. Fontes: Rafaela Hering Bell (Diretora MAB) 3326 6596 e 9977 9819 e Rodrigo Ramos (Diretor ECM) 3326 7511 e 9968 9880.

Jornalista: Marili Martendal – MTb/SC 00694 JP. 3326 8124 e 9943 0235.  

 

 
< Anterior   Próximo >

Artigos já publicados

Ladrão de Cadáveres

capaNeste breve ensaio o escritor e professor de Literatura, Maicon Tenfen, discute o livro “Ladrão de Cadáveres”, de Patrícia Melo. Classificando-o enquanto obra do gênero policial, Tenfen observa as influências de Rubem Fonseca neste livro da autora, cuja primeira edição saiu pela Editora Rocco.

Leia mais...